Logotipo Inovar com QI
Logotipos dos Parceiros

Home arrow News arrow Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo arrow TurningPoint em contexto de sala de aula
TurningPoint em contexto de sala de aula PDF Print E-mail
Sexta, 07 Dezembro 2007
TurningPointNo dia 9 de Outubro, os professores envolvidos no Projecto Inov@r com QI, do Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo, em reunião com o Dr. José Miguel Sousa e o Dr. Jorge Cabral do CFPA, tomaram conhecimento da nova aplicação, denominada TurningPoint. Após este primeiro contacto, com esta ferramenta, evidenciou-se entusiasmo por parte dos docentes João Figueiredo e Fernanda Loureiro, em rentabilizar, a curto prazo, o TurningPoint. Deste modo, ainda no mês de Outubro, foi utilizado nas turmas B e C do 8º ano de escolaridade da Escola Básica Integrada de Ínsua.

No dia em que se usufruiu do TurningPoint, em contexto de sala de aula, os professores preocuparam-se por efectuar uma breve apresentação do mesmo, elucidando os alunos quanto aos principais objectivos da sua utilização. Nesta primeira aplicação, evidenciou-se, nos discentes, uma certa motivação em poderem recorrer a esta novidade tecnológica, respondendo de forma positiva a esta iniciativa, revelando concentração aquando da realização da actividade a fim de responderem correctamente às questões apresentadas, inerentes à unidade programática “Teorema de Pitágoras. Áreas. Semelhança de Triângulos”.

De um modo geral, importa realçar que o impacto provocado pelo recurso ao TurningPoint, nos alunos, foi marcante, no que respeita à forma imediata de detectarem os seus erros, de responderem em tempo limitado a cada uma das questões, incutindo-lhes a necessidade de procurar métodos de resolução de exercícios ou problemas, estabelecendo, sempre que se justifique, a ponte entre os conhecimentos adquiridos, no presente ano ou em anos anteriores, rentabilizando o tempo a que estão sujeitos. Fomentou, ainda, uma saudável competição entre os discentes, que pautaram o seu trabalho tendo o cuidado de tentarem transmitir aos outros que têm presente certos conhecimentos e que os sabem aplicar. Na realidade, o facto de, em tempo real, obterem uma classificação do seu trabalho, efectuarem uma comparação entre os resultados das prestações dos diversos alunos, promoverem a auto-avaliação, são factores que se revelam como uma mais valia, na utilização desta ferramenta.

No que concerne o desenvolvimento da actividade, na vertente do professor, é importante salientar que carece de tempo para efectuar o trabalho devidamente planificado, principalmente, nesta fase primordial.

No seio de sala de aula, o docente testa, em pouco tempo, sensivelmente 10 minutos, os conhecimentos dos alunos, conduzindo à reflexão, mais sistemática, das estratégias a utilizar, não descurando, caso se revele pertinente, a reformulação das mesmas, na tentativa de tornar mais coesa a relação ensino-aprendizagem.

Assim sendo, a nossa primeira experiência, face à utilização do TurningPoint com os alunos, teve um sabor delicioso e vicioso, o que induz a sua aplicação em situações futuras.

João Figueiredo e Fernanda Loureiro

 
< Prev   Next >

Adicionar a: Digg Adicionar a: Sapo Links Adicionar a: Diigo Adicionar a: Technorati Adicionar a: Spurl Adicionar a: Google O que é o Social Bookmarking?